terça-feira, 27 de março de 2012

Repasse se você quer uma opnião honesta de um anonimo sobre você =D

Não estou mais entrando aqui. Caso queira mnter algum tipo de contato, adicione-me no meu facebook.com/Sizov88 off. Isso serve para todos, até para os meus anônimos que vinham de vez enquando.

Pergunte ao Edward.

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

sábado, 11 de dezembro de 2010

Eclipse

- I thought that you were afraid that I'd be too different. You know, like. I wouldn't be... warm. And I wouldn't smell the same.
- You'll always be my Bella.

(...)

- My Bella. Just less fragile.

sexta-feira, 9 de julho de 2010


-Eu te amo.
-Também te amo. Estava pensando em você, reflita.
(14h14)
-Hora igual. Haha. Te amo.
-Haha, é. Te amo também.
I wanna hear what you have to say about me, hear if you gonna live without me. I wanna hear what you want, because I want you here tonight.
- Ownti. Te amo.
- Mm. Também te amo.
- Tá tudo bem com você?
- Acho que sim. E você, bebê?
- To bem também. Parece abatida, sei lá.
- Não é nada, não se preocupa. Já tenho saudades.
- Também to, amor. Mas me conte o que você tem.
- Só to cansada. Não dormi muito bem, e quando conseguia adormecer, tinha pesadelos. Nada demais, amor.
- Pesadelos? Que tipo de pesadelos?
- Todos os tipos possíveis. Mortes, abusos, doenças, dor...
- É porque não falou comigo noite passada. Sou seu anjo da guarda, o seu defensor de sonhos ruins.
- É.. Sabe, nunca desejei tanto que você estivesse aqui comigo como na madrugada passada.
- Ownti. É só me imaginar do teu ladinho, porque apesar de meu corpo estar longe, meu espírito, mente, alma e coração estão com você.
- Mm, eu sei que sua mente, coração e alma estão comigo, sinto uma segurança muito grande por conta disso, faz eu me sentir importante de algum modo, porque meu coração, mente e alma também estão com você... E todas as vezes que imagino você perto, quase posso sentir seu calor se misturando com o meu...


Só você para me alegrar durante todas as madrugadas e em horários aleatórios.

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Duas vidas em uma


- Vou pra bed..
- Vai nada, vai ficar aqui.
- Why?

- Porque eu estou pedindo. Fazem dois dias que não conversamos direito.
- Eu sei.. Sabe.. eu não vivo mais sem ti.
- Own.

- É sério.

- Eu também não vivo mais sem você.
- Eu não quero estragar o que temos..
- O que quer dizer com isso?
- Eu sou um fracasso como namorado. Todas às vezes em que namorei sério, eu estraguei tudo e fui chutado. Você consegue entender? Por isso sempre estou sozinho. Para evitar sofrimento. O meu, e o teu. E olha, não há nada que possa fazer para mudar esse círculo vicioso. É como se fosse uma maldição.

- Não estou pedindo pra que tenhamos algo sério, aliás, nunca toquei no assunto. Você já me disse isso, embora discorde de ti, respeito seu ponto de vista das coisas, então... Não me importa se vamos ficar "oficialmente" juntos, ou se vamos ser mais do tipo amantes... Só quero ter você do meu lado, independente da maneira que seja..
- Eu sempre estarei aqui. Amantes é uma palavra feia. - refleti. - Soa mais como um adultério e eu odeio esse tipo de coisa.

- Você entendeu o sentido.
- Eu sei.. Eu só não gosto desta palavra..
- Certo.


5 minutos de silêncio...

- Eu amo você. Me desculpa por ser assim.
- Eu também te amo. Não peça desculpas.
- Imagino que não é isso que você queria. Por isso estou me desculpando.
- Eu queria você... Só isso.
- Você é linda de mais. Um dia ainda caso contigo.
- Lindo é você.

Diálogos nossos sempre iluminam minhas noites. Tudo porque você já faz parte de minha vida e porque de uma forma inexplicável você me faz feliz.

terça-feira, 27 de abril de 2010

Para mim




"Enquanto as vozes lhe diziam para continuar andando com as mãos no bolso, o coração lhe dizia para virar-se, voltar correndo, pular nos braços dele e dizer o quanto o amava. Mas Bella preferia ouvir a voz racional do que a ingenuidade do amor. O amor, o que ele podia saber sobre relacionamentos? Toda vez que ela dera ouvidos a voz racional, tudo dava errado. Só que ela era mais coerente, sempre mostrava os lados plausíveis de não voltar correndo pra ele após terem terminado. Falava sobre orgulho, sobre amor-próprio, sobre auto-respeito, sobre ele ser um imbecil e um completo idiota. O amor mandava a voz calar a boca e dizia a Bella que o orgulho pouco importava quando o amor prevalecia, que fazer serenatas, segurar o rádio do lado de fora da janela, dizer que ama, não era brega. Era um ato de coragem. Ela continuaria caminhando pela longa rua enquanto ele permanecia ali, parado, tentando absorver aquela imagem dela indo embora, essa seria a última vez que veria o amor da sua vida. Ele estava deixando-na ir. Se esvaindo entre os dedos. Bella parou de andar, pôs a mão direita sobre o coração, fechou os olhos e tentou lembrar porquê amava aquele idiota imbecil. Milhares de motivos do porquê eles não deveriam ficar juntos vieram a sua cabeça, mas apenas um motivo para que eles ficassem juntos apareceu: Infelizmente, as coisas que ela odiava nele, faziam-na o amar. O modo como ele costumava acordar mal-humorado, como sempre esquecia das datas importantes, como ele gostava de beijar o rosto dela enquanto ela dormia de manhã, sempre esquecer a tampa da privada aberta, esquecer de pôr comida para o gato, tudo. Tudo que a fazia se zangar com ele, era incrivelmente viciante pra ela. Apesar de tudo, apesar dele ser o cara mais irritante na maioria das vezes. Ela não podia viver sem ele, não podia viver sem o seu motivo de viver. Bella abriu os olhos, soltou um suspiro pesado, sentiu lágrimas rolarem pelas suas bochechas rosadas, virou-se para ele, abaixou a mão que estava no peito e sorriu. Ele sorriu de volta, mas sem saber o motivo. Só de ver aquela garota linda, o amor da sua vida, o motivo por ele ainda estar ali, parado, só por vê-la, seu coração parava por alguns segundos. Ela voltara correndo com os braços erguidos, pulou no seu pescoço e o abraçou com toda a força, com uma força de quem não o deixaria se soltar tão fácil. Eles se encararam nos olhos por um longo momento, até que ele pôs a mão no bolso, tirou de lá uma pequenina caixa preta, soltou-a dos seus braços, abriu a palma da mão na frente dela e equilibrou a caixinha nela:
- Era isso que eu estava juntando coragem pra falar faz.. Algum tempo. - Ele ria consigo mesmo. - Sei que não sou o cara mais perfeito do mundo, sei que sou egoísta na maioria das vezes, e que eu te magôo bastante... Mas por favor, por favor, case-se comigo?"

Muito antigo este texto... Eu li e senti saudade.


quarta-feira, 14 de abril de 2010


Na mente, um pensamento vago.
No coração, um sentimento perdido
No dedo, um "deletar".