sábado, 31 de janeiro de 2009

Fio da meada


Ante-ontem, sexta-feira, dia 30 de janeiro de 2009. Dei uma saída com amigos. Não queria me embriagar, porém, a vontade de esquecer um desamor, foi maior que eu.
Mesmo sabendo que o efeito da bebida seria passageiro, não hesitei e botei goela a baixo, a primeira dose de tequila. Fazia um tempo... Longo tempo digamos, que eu não colocava nenhum liquido que tivesse algum tipo de mistura com álcool, na boca.
O mal da bebida é: quanto mais você ingere, mais seu corpo pede. Realmente, eu precisava “ficar de fogo”, esquecer um pouco esse mal que o fake trás. Infelizmente, exagerei na dosagem, como eu havia dito; o corpo clama por mais. Cheguei em casa, completamente “alterado”, meu corpo exalava cachaça, apesar de estar bêbado, me recordo de alguns fatos que ocorreram.
Às 23:13hs, lembro-me que a primeira pessoa com quem dirigi a palavra, foi com a Karin, que por sinal, foi bem atenciosa e prestativa comigo. Alice e Key, também me deram apoio, mesmo não entendendo quase nada do que eu escrevia.
Após alguns instantes, Key disse que seria melhor que conversássemos no dia seguinte. Concordei, afinal, eu não estava em minha sanidade para querer exigir que ela ficasse por minha causa.
Havia mais algumas pessoas querendo que eu as responde-se. Eu estava muito rude aquela noite, cismei com a Alice e a Karin. Tentei manter um assunto produtivo. Falhei, pois estava tão alterado, que de dez palavras em que eu escrevia, eu errava onze. Fora a fonte que estava no tamanho 10 (Para mim é um tamanho normal, isso se eu estiver “são”), mudei para o tamanho 20, parecia que eu estava vesgo. Resmungava comigo mesmo, me perguntando: “Que burrice a minha, devo estar louco!! Como consigo ver essas míni-letras?”

Alice estava de saída, fiquei triste, afinal ela tornara sempre minhas madrugadas interessantes. Karin ainda estava online, incrivelmente paciente comigo. Eu estava muito ruim, e Karin com seu instinto “super-protetora-de-animais” (Pois é isso que sou, um animal), mandou-me ir tomar remédio. O espírito protetor dela, é tão imenso que fui até a cozinha para tomar um Doril. Meu espírito de porco, ainda reinava sobre mim, porque percebi a dificuldade que eu ainda tinha ao responde-la. Por fim, não passou nem um mísero minuto e ela disse que teria de ir. A primeira coisa que me veio na cabeça, foi que ela não tinha gostado de minha companhia aquela noite, bem.. Se tivesse sido isso, eu nem poderia me justificar, um beberrão como eu, querendo tirar satisfações? Imagine só. Me fez prometer, que iria descansar, para que hoje eu estivesse disposto quando a visse.
Ela saiu e após dois minutos contados, desliguei o computador e desmaiei sobre a cama.

Edward Cullen

quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

Bipolaridade


Sabe o que é ter 6 amigos que mudam de humor do nada? Sem você ter feito absolutamen nada? Imagine passar por isso todos os dias. É o que eu passo. Porém não reclamo, pois meus amigos bipolares, são melhores que quaisquer outros amigos que não tem bipolaridade. Apesar da mudança de humor repentina, os bipolares, são carinhosos e amorosos, não posso esquecer que são excessivamente ciúmentos. O bom é: são sinceros, o que tiver de falar, fala na cara. Mesmo com esse lado "hostil", tem uma boa parte em meu coração, óbviamente que a maior é claro. Quando estão carentes, ficam tão melosos e isso me facina.. É incrível, em um momento a pessoa fica toda rude e fria, derrepente, fica melosa. É interessante. Tem pessoas que não entende essa mudança de humor, e acaba perdendo contato porque não compreende o distúrbio bipolar. Bem, eu tenho cerca de seis amigos que tem esse distúrbio, as vezes sempre brigo com eles, mesmo sabendo que logo, aquele mau humor irá embora e nossa amizade voltará a ser a mesma. Os bipolares, na maioria, tem um certo pessimismo. Por isso, tente compreendê-los, porque eles são iguais a todos e merecem ser tratados como tais. Não tem culpa de nascer com esse distúrbio. Por isso, os amem, eles também merecem ser amados.

"Amai-vos uns aos outros"

Edward Cullen

O vendedor de sonhos



- Sim, sou vendedor de sonhos
Confuso, Júlio César, por alguns momentos, pensou que o homem que estava diante de si fosse um vendedor ambulante. Ou um vendedor de ações da bolça. Mas, com aquelas idéias, parecia impossível. Curioso, questionou-o.
- Como assim? Que produtos você vende?
- Eu procuro vender coragem para os inseguros, ousadia para os fóbicos, alegria para os que perderam o encanto pela vida, sensatez para os incautos, críticas para os pensadores.
Júlio César, num rompante de orgulho, lembrando-se do tempo em que se sentia um deus por ter vasta cultura acadêmica, disse consigo: "Não é possível! Estou tendo um pesadelo. Acho que já morri e não percebi. Num momento eu queria tirar minha vida porque estava preso no novelo dos meus conflitos. Noutro, estou mais perturbado ainda porque estou diante de alguém que me resgatou e diz que vende o que é invendável. Vende o que todos procuram mas não existe nos mercados". E, para sua surpresa, o estranho completou:
- E para os que pensam em pôr um ponto final na vida, procuro vender uma vírgula, apenas uma vírgula.
- Uma vírgula? - Perguntou, confuso, o sociólogo.
- Sim uma vírgula. Uma pequena vírgula, para que eles continue a escrever sua história.

Trecho do livro do O vendedor de sonhos criado por Augusto Cury.
Livro que terminei de ler faz alguns dias, um romance inteiramente intelectual, recomendo.

domingo, 25 de janeiro de 2009

Live or Die?


Porque seres humanos não se satisfazem com a mortalidade? Porque querem tanto ser imortal? Tornar-se um monstro. A imortalidade tem um preço muito alto. Terá de abrir mão de muitas coisas. Abrir mão de: alimentos, sonhos, sol, família biológica, amigos mortáis, entre outros. Fora que terá de controlar o seu olfato, tendando ocutar o aroma apetitoso que um ser humano isala. Acostumar-se com o cheiro, pode demorar dias, meses, anos e até séculos... Pra que desperdiçar uma vida tão maravilhosa, se tornando algo não-sociável? Acho egoísmo do ser humano, querer se tornar algo repugnante, sendo que tem uma chance enorme para continuar sua vida mortal. É por isso que eu digo, que se eu pudesse voltar no tempo, e viver minha vida mortal em 1901, creio que eu voltaria. Afinal, a vida tem muita coisa maravilhosa, tem seus mistérios, mas no final sempre acaba tudo bem. O único problema, é que se eu não tivesse me transformado em um Vampiro. não estaria aqui no século XXI, para contar-lhes essa história.

Edward Cullen

terça-feira, 20 de janeiro de 2009

Antes de Crepúsculo

Ontem, no dia 19 de janeiro de 2009, recebi o tal trecho prometido, trecho de um texto sobre vampiros, pode se dizer que é uma história sobre vampiros. A primeira parte da história, veio via mensagem instantanea (o popular msn). O trecho era pequeno, mas muito interessante, manteu minha atenção presa naquelas palavras. Não havia absolutamente NADA parecido com Crepúsculo. Havia muitos mitos diferentes, nomes diferentes, baseado-se na era medieval. Afinal ela me disse que gosta de vampiros, muito antes de conhecer Crepúsculo, tanto o filme quanto o livro. Isso que a fez crescer em meu conceito.

Edward Cullen.

domingo, 18 de janeiro de 2009

Dela para mim.

Eu estou pensando em como escrever algo para você há dias, mais eu sempre penso que qualquer coisa que eu diga não vai chegar a seus pés, por isso eu sempre adio o que eu realmente quero falar. Edward, eu não sei como demonstrar o que eu sinto quando estou com você, às vezes eu pareço uma pessoa fria e sem assunto, mais a culpa disso é sua, não sei como usar as palavras ou até mesmo agir perto de você. Todas as vezes que eu digo um simples eu te amo eu estou dizendo a verdade, é um sentimento tão grande que às vezes doe em meu peito. Eu tenho medo de não agradar você e de estar sendo apenas mais uma... Sabe, as coisas aconteceram muito rápido entre nós por isso eu penso que meus sonhos nunca vão se tornar realidade, e você e meu maior sonho, agora.
Gordinho, eu amo você e a cada dia que passa o amor e a admiração que eu sinto por ti cresce, eu não imagino minha vida sem você, sem seu jeito, sem suas declarações, sem seu ciúmes... Tudo em você me completa e me faz feliz. Eu só queria que você fosse real, pra eu ter certeza de que um dia vou ser feliz, ao seu lado.

I promise to love you forever, every single day of forever. <3

Isabella Marie Swan.

sábado, 17 de janeiro de 2009

Music


Não é bem uma música que fala sobre o que eu sinto por você, é apenas uma música que me faz lembrar de você. Não sei o real motivo, só sei que quando escuto esta música, é em você que eu penso. Bob Patrik

quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

Fome..


É a ultima coisa que eu quero sentir... Quando a fome me ataca, fico fraco, meus neurônios somen, fica um caos em minha cabeça. Fico na dúvida, coisas fáceis se tornam difíceis. A falta de neurônio em meu celebro, causa efeitos colaterais, alguns ruins, outros bons. Sinto medo de machucar alguém, pois fico um pouco histérico. O cheiro me atrái como alguma fragrância inrresistível. O quanto mais próxima estiver de mim, vou ter mais chances de dar-lhe o kiss of death. Por isso... Se um dia eu estiver neste estado, peço que fique o mais distânte possível de mim. Porque se eu beber do seu sangue, não sei se conseguirei parar...

Edward Cullen.

quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

We

The one thing I'll never forget, it's you and me.

segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

O primeiro, a gente nunca se esquece.


O primeiro sing, como o primeiro de qualquer coisa, nós nunca nos esquecemos. Porque fica aquela lembrança de sempre. É interessante, um exemplo: primeira namorada, primeiro amor, "primeira vez", primeiro amigo, primeiro sing, etc... Tudo que é pela primeira vez, talvez seja mais gostoso, melhor quem sabe. Não sei muito bem explicar, afinal cada um tem o seu ponto de vista. Esse sing, o meu primeiro, nunca irei me esquecer. Fico grato por se lembrar de mim em sua viagem. Alice A. Frasca

Edward Cullen

sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

Amiga, Amante.


Tudo começou, com apenas uma aceitação de + amigo. Eu estava postando na comunidade FDMSNE. De repente, recebi um scrap e um pedido de amizade. Como eu não havia nenhum contato, a aceitei de bom agrado. No começo eu estava um pouco sem assunto, então conversamos durante um tempo, até que acabou o assunto e os dois saíram do msn. No dia seguinte, nos falamos um pouco mais, sem intimidades alguma, é claro. Depois de algum tempo, ambos ficaram calados e depois disso, paramos de nos comunicar. Neste mesmo dia, eu tinha visitado uma Isabella Swan, logo vi pelo perfil, que ela não era tosca. Não adicione, apenas deixei um recado, cujo recado, não me recordo o que eu havia escrito. Ela riu bem humoradamente e me respondeu com gentileza. Trocamos scrap's, durante dois dias mais ou menos, sem nos adicionarmos, eramos estranhos que se comunicavam. No terceiro dia, perguntei a ela, se ela se importaria se eu a adiciona-se. Me disse que não haveria nenhum problema, fui mais ousado e pedi seu msn. A conversa estava boa, nada que comprometesse ambos os lados, conversamos durante um longo período, e então, ela finalmente disse, que me conhecia. Achei estranho, ela continuou e disse mais, que a outra fake dela, estava em minha lista de contatos. Fui em meus contatos, com uma enorme curiosidade, olhei bem e me lembrei de uma garota, a que eu tive minha primeira conversar "orkutial", o jeito de falar se parecia muito e como eu havia somente 10 contatos, só podia ser ela ou uma outra moça que eu tinha em meus contatos. Ela no início não quis me dizer quem era, chutei que tivesse sido essa minha primeira amiga com quem falei poucas vezes, me disse que não, falou que eu havia errado. Tentei mais alguns chutes e então ela confessou que eu havia acertado, foi meu primeiro chute, acertei em cheio! Com o passar do tempo, fui me aproximando dela. Seu temperamento muda as vezes, diz ela que é bipolar. Não deixo de gostar dela, afinal, temos que amar as pessoas do jeito que são, com seus defeitos e qualidades.
Sempre lhe digo que te amo, mesmo quando está em estado de stress, afinal, é a mais pura verdade.
I promise to love you forever, every single day of forever.
Edward Cullen.

Maldição dos Cullen

As vezes me da raiva ser um Edward, porque as pessoas me adicionam, só pelo fato, de eu não ser, "um Edward Cullen tosco". Isso realmente me afeta, porque as pessoas acabam dizendo que me ama, somente por causa de uma foto, ou por causa do personagem. Acho ridiculo isso, a frase eu te amo, não se pode ser usada como um "Oi". As pessoas mal me conhece e ja diz que me ama, como pode? Em fração de segundos. Será que é porque sou um Edward, ou porque não sou tosco? Fico nessa dúvida, apesar de sentir que quase todas que me adicionam, só querem se rotular como minha namorada, pra dizer que tem um namorado Edward-não-tosco. Eu não entendo o pensamento humano. Principalmente o feminino, é o mais complicado para mim. Essa é a minha maldição, viver eternamente, sendo bajulado por pessoas que mal conheço, ou sendo adicionado por pessoas toscas e que não escrevem o português direito. E assim eu levo essa vida, afinal, durante séculos está sendo assim, quem sabe realmente eu não encontro alguém que me ama pelo que sou? Não porque sou um Edward-não-tosco.

Edward Cullen

quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

Ignorância masculina

A minha ignorância masculina, me impediria de ter conhecido você pessoalmente, antes mesmo de saber a pessoa maravilhosa que você é. O ser humano é muito cretino, principalmente o sexo masculino, estou incluso, é. Ontem, falamos sobre nossa vida pessoal, me disse que se sentia sozinha, pois todos que você queriam, te desprezavam. Se auto-atitulou como uma pessoa feia. Apesar de não ter visto nenhuma foto, nem visto você pessoalmente, não vou mentir que se eu tivesse visto você antes de te conhecer em fake, não agiria da mesma forma que agi. Talvez eu te desprezasse, se realmente fosse de uma aparência rotulada como feia, mas agora que te conheço por dentro, isso tudo muda. Porque agora eu conheço você, pela pessoa que é. Não sou um cara lindo, nem coisa parecida, to na aparência média, era um galego meio exigente pra beleza. Antes eu era mesquinho, e se eu visse alguém que não me agradasse, eu zombava. Depois que fiz o fake, isso mudou. Porque passei a conhecer as pessoas do jeito que elas são, sendo bonitas ou não. Mas eu sei que muita gente, depois que vê a verdadeira pessoa por trás do fake, ele ou ela mudam, só que eu não sou desse tipinho, já fui, agora não mais. Percebi o quanto a beleza interior é mais valorosa do que qualquer coisa, que não podemos julgar as pessoas pela aparência, isso chega a ser uma discriminação. O que me fez abrir a cabeça também, foi o casal Rachel e Vespertine. O amor supera tudo, a amizade também. E quem ama, não liga se a pessoa é ou não é de uma aparência boa, pois a pessoa passa a ver a beleza interior. Nada é tão valoroso quanto amar e ser amado, seja por quem for.



Edward Cullen

terça-feira, 6 de janeiro de 2009

Presente inesperado

Faz alguns dias que aconteceu algo inesperado, ganhei uma fã. Quando criei este blog, foi na intenção de mostrar a uma garota meus textos. Sempre gostei de escrever, então escrevia em cadernos e tenho até um fake que vive escrevendo na comunidade Escritores - Fakes, cujo não direi o nome para ser prejudicado. Devo ter em torno de vinte textos escritos, coisas sobre minha vida pessoa e também sobre o fake, sentimentos, brigas, etc.. Eu sinceramente quando fiz esse blog, eu realmente pensei que quase ninguém iria ler essa merda, mas para a minha surpresa, ganhei até uma adimiradora, e isso foi hilário, pois nunca isso havia acontecido comigo, nem mesmo no meu outro fake que tem textos melhores do que este. Saber que alguém lê frequentemente seus textos, pelo menos pra mim me deixa com a auto-estima lá em cima. Gosto de saber, que alguém leu atenciosamente tudo que eu escrevi, em um momento de alegria ou até mesmo em um momento de tristeza. O texto para mim, serve como desabafo, pra descontrair e até mesmo diminuir a raiva que sinto naquele momento. Algumas pessoas dizem gostar de meus textos, outra acham infantil (sério já me disseram isso HAHA), eu não ligo muito, pois estou disposto a receber elogios como também críticas, um bom escritor deve estar preparado pra essas coisas. Bem.. Eu precisava escrever algo que prestasse neste blog, então dedico este texto a ALICE , adimiradora de meus textos, meu presente inesperado.
Bom, é só isso. Ela foi a inspiração deste texto confuso. Um beijo especial pra você.

Edward Thomas Cullen

GranadA - A tempestade


Não vá... Eu já não sei onde estou

Sentir...Não sei ao menos quem sou

Nesse meio tempo só o relógio não parou

E nesse labirinto a solução não me achou

Nunca mais volto a ser frágil como você

É sem sentido dizer que vou fortalecer

Mas quando a luz do sol abrir meus olhos vou focar

Uma outra direção que o limite é o meu lugar

Nunca mais vou olhar a tempestade em vão

A sua solução é ficar e fingir que a chuva não molhou, seus olhos e seu coração

Nunca mais volto a ser frágil como você

Frágil como você! Nunca mais vou olhar a tempestade em vão

A sua solução é ficar e fingir que a chuva não molhou, seus olhos e seu coração

Nunca mais vou olhar e ficar e mentir...A tempestade vai molhar seus olhos e seu coração ()

sábado, 3 de janeiro de 2009

O que dizer..




O que dizer para um jovem de 20 anos, quando ele, depois de ter quase morrido, ficou paralitico? Nada. Diga apenas que o ama.

Um trexo do livro Feliz ano velho, por Marcelo Rubens Paiva.

Livro que terminei de ler faz alguns dias, que me fez refletir sobre a vida.

Pensamento

A decepção é passageira e só o tempo cura, contrário do amor que é algo eterno e que quando sentimos, não tem como explicar, é algo inigualável, algo que não podemos ver com os olhos, mas sim com o coração e a alma.

Edward Cullen

sexta-feira, 2 de janeiro de 2009

Bicho de estimação exótico

Ontem quando nos falamos no msn, você estava abatida, pensei que fosse por minha causa. Estranhei, perguntei o que havia acontecido, me disse que sentia que seu peixe iria falecer. Não vou mentir que fiquei assustado com o fato de seu bicho de estimação ser apenas um peixe, pois sempre considerei peixe, um bicho substituível, se morria, era só substituí-lo por outro (com criança este truque funciona muito bem), também sempre achei que peixe fosse apenas um acessório para deixar a sala mais bonita, nunca o considerei como um animal de verdade. Mas você me mostrou que um peixinho, pode valer muito mais do que um gato, cão, ou pássaro. Que ele apesar de ser pequeno, nunca sair do lugar e pelo fato de não poder tocá-lo/fazer carinho, não significa que isso diminui o amor que sentimos por ele, porque não importa se é um gato, cachorro, etc, isso não muda nada. Porque se você se apegar a um animal, mesmo ele sendo apenas um peixe, você irá amá-lo da mesma forma que amaria um cachorro. Começa a fazer parte da sua vida e se ele morrer, você sofre. Agora eu sei que um peixe, não é apenas um peixe, ele vai além disso, é um animal de estimação, o SEU animal de estimação.
A partir de hoje, terei uma visão diferente de qualquer outro tipo de animal, não importa se ele seja de porte pequeno ou de grande, se é um rato ou se é um leão. Pois não importa o que ele seja e sim o que você sente por ele. Podemos amar, basta só tentar. Você me provou isso, mostrou para mim que podemos amar até mesmo um pequenino peixe..


Edward Cullen.

O que eu mais temo na vida

Eu temo, tenho um certo medo em revelar o que sinto por você, apesar de estar meio que "na cara", que eu gosto de você. Acho que é medo de sofrer novamente, passar por tudo que passei, nas tentativas de ser "feliz", ou talvez seja o medo de não ser correspondido, amar e não ser amado. Me apaixonei por você sem querer, éramos apenas amigos e eu, como estava carente, precisando de alguém, foi você que esteve do meu lado. Minha amiga, como isso foi acontecer? Você me deu bola, ou eu estou errado? Se pensei errado, peço perdão. Andei muito carente ultimamente, precisava de palavras carinhosas como a sua. Você é fruto de uma paixão precipitada, que nunca pensei que viria existir, algo tão repentino, reciproco. Apesar de não dizer frente a frente o quanto eu gosto de ti e de sempre dizer aquela baboseira de sempre de que "não digo que te amo, você sabe o porque", mesmo por causa de toda essa babaquice da minha parte, quero que você saiba que eu a guardo dentro do meu peito.

Edward Cullen.

quinta-feira, 1 de janeiro de 2009

Sosinho no escuro

É assim que eu me sinto no escuro, ou quando estou sosinho. Penso em você, para amenizar a saudade. Releio algumas de nossas conversas e começo a rir sosinho, do nada..
A cada dia que se passa, passo a gostar muito mais de você, é engraçado e ao mesmo tempo novo para mim. Nunca me apaixonei assim, em dias, ou horas.. Sempre me privei, evitava me relacionar com medo de sofrer novamente. Confesso que adoro as horas em que passo aqui falando com você. Não passa de palavras, coisas virtuais.. Mas rola um sentimento, pelo menos da minha parte. É, talvez seja mesmo uma paixão e a cada dia que passa, me entrego cada vez mais pra você. Se ficarmos juntos, não imagino por quanto tempo irá durar, mas como diria Vinícius de Moraes mais ou menos assim: "Nada é eterno, mas que seje infinito enquanto dure".

"Então o Leão se apaixona pela Ovelha"

Edward Cullen.